Seja bem-vindo ao site do Método Gerar
logo


Profa Dra Valeria CS Almeida

O Colégio Americanos de Ginecologistas e Obstetras (ACOG) recomenda o conhecimento sobre as alterações fisiológicas na gestação, a fim de prescrever exercícios às gestantes. Além disso, as contraindicações relativas e absolutas à realização do exercício bem como  sinais de alerta para pausar o treinamento. Assim, o profissional de educação física necessita se especializar no assunto, para proporcionar benefícios e minimizar riscos à gestantes.

 

Profa Dra Valeria Santos de Almeida

 

Você sabia que “fazer xixi” de tanto rir e correr para o banheiro e não “segurar o xixi” é  incontinência urinária? Além disso, você também pensa que o incontinente é idoso?  Pois bem, incontinência urinária (IU) é qualquer perda involuntária de urina e um estudo realizado em 2017 com mulheres de 50 a 59 anos relatou que 45% delas tem incontinência urinária e que mulheres jovens ativas são mais incontinentes que sedentárias.

Diversos fatores estão ligados à Incontinência Urinária como:

  • Mulher – 12 a 56%
  • Idade (29-49 anos)
  •  gestação e parto vaginal
  •  Obesidade
  •  Constipação intestinal
  •  Doenças crônicas (diabetes, esclerose múltipla, demência, depressão, câncer de bexiga, doença de Parkison)
  •  Infecções urinárias recorrentes
  • Exercícios físicos

Quando estes fatores estão associados, aumenta ainda mais o acometimento desta doença.

  • Você prescreve exercícios para os músculos do assoalho pélvico MAP? Você conhece os exercícios para fortaleciemnto dos MAPs ?Nenhum movimento com de membros inferiores contrai os MAPs de maneira eficiente. É necessário que se concentre e contraia os MAPs como se, “interrompesse o jato urinário” várias vezes.

É importante que você prescreva exercícios para o assoalho pélvico para prevenir da incontinência urinária em suas alunas, pois o tratamento deve ser realizado por fisioterapeutas especializados nesta área.

O Método Gerar agora com Cursos sobre Saúde da Mulher:

Saiba mais:

 

Novos Cursos!! Aguardem…

NOVOS CURSOS!!  Aguardem…..

Profa Dra Valeria Santos Almeida

 

Todos sabemos que a gravidez não é doença, certo?

No entanto, a população está doente e esta doença chama-se “SEDENTARISMO”

Aproximadamente 70% da população está comprometida, já é considerada uma epidemia mundial. Estima-se que no Brasil cerca de 2/3 das doenças crônico não transmissíveis (DCNT) respondem pelas mortes. As DCNT são obesidade, hipertensão, diabetes, câncer, entre outras.

Dentre os fatores relacionados à estas doenças estão a má alimentação e atividade física insuficiente.

É por este e outros motivos que atualmente recomendo que as mulheres preparem seu corpo para engravidar. Não estou pensando apenas no fator estético (emagrecer), é sim nos fatores, cardiovasculares, músculo-esqueléticos e  hormonais.

A mulher está engravidando mais velha, 1 a cada seis gestantes tem mais de 35 anos de idade….e provavelmente sedentária e com maiores riscos de DCNT.

Assim, iniciar um programa de exercícios pelo menos 1 ano antes de engravidar trará benefícios durante a gestação, para a mãe e para o bebê.

Sabemos que a gestação traz desconfortos, dores lombares, aumenta o peso, promove mudanças posturais. Com um corpo com músculos fortalecidos e alongados, um sistema cardiorrespiratórios “resistentes” você terá uma gestação melhor.

Além disso, sabemos que mulheres que se exercitaram até um ano antes de engravidar têm menos risco de diabetes gestacinal e pré-eclâmpsia. Desta forma, não pense em se exercitar apenas durante a gestação, mas prepare seu corpo para engravidar também..

O Método Gerar, tem programas nos três períodos, antes, durante e após a gestação.

Entre em contato: valeria@metodogerar.com.br ou pelo telefone: 11 7763-9358

 

Dra Valeria Santos de Almeida

Hoje o exercício físico durante a gestação já não é mais um tabu!!

Aliás,  acredito que a pergunta deveria ser outra!!!!

Será que todo profissional de educação física ou
fisioterapia está apto para prescrever exercícios para as gestantes??

Como a maioria dos médicos não proibe a prática de exercícios durante a gestação … para a maioria das mulheres, encontramos programas de exercícios em diversas academias e clínicas de fisioterapia. Além disso, há milhares de profissionais que fazem atendimento personalizado em condomínios.

Nossa preocupação hoje, é deixar claro que se você não tem nenhuma das restrições relativas ou absolutas no quadro abaixo, não há com que se preocupar. No entanto, você está grávida, diversas alterações metabólicas, hormonais, cardiovasculares, músculo-esqueléticas estão acontecendo semana a semana. Por isso o profissional que for atendê-la durante um dos períodos mais importantes de sua vida deve conhecer estas alterações que você sente a cada dia.

Qual exercício posso fazer? É a pergunta mais comum … tudo depende do que você fazia antes da gestação.

Não fazia nenhuma atividade? Tudo bem … a gestação é um ótimo momento para cuidar de você.

Hidroginástica é o melhor  exercício? É um ótimo exercício, mas não é o único e nem é o melhor, pois dificilmente teremos um programa individualizado. E se você não gosta de piscina? Então não pode fazer outro?

Caminhada, ginástica, musculação, alongamentos, natação são várias as opções que podemos oferecer.

O mais importante é a adaptação destas atividades para a gestante.

Mas antes de iniciar as atividades, você precisa da liberação de seu médico, e assim que ele liberar, é interessante que o médico acompanhe suas atividades.

Observe as restrições que o Colégio Americano de Ginecologia e Obstetrícia (ACOG) descreveu e,  para não realizar exercícios:

As restrições absolutas são as que o médico não libera para a prática de exercícios, e as restrições relativas o médico pode ou não liberar para a prática.

Sua segurança , é o lema do Método Gerar.

Contra-indicações relativas:

Obesidade mórbida;

Baixo peso extremo (IMC<12); histórico de vida extremamente sedentário;

História de 3 ou mais abortos espontâneos;

Trabalho de parto prematuro;

Limitação ortopédica;

Bronquite crônica;

Hipertensão não controlada;

Anemia severa;

Hipertiroidismo não controlado;

Diabetes tipo 1 não controlada;

Arritmia cardíaca;

Fumante inveterada;

Crescimento intra-uterino retardado.

Contra-indicações absolutas:

Doença cardíaca hemodinâmica significante;

Doença pulmonar restritiva;

Cérvix incompetente;

Gestação múltipla (mais de três);

Risco de parto prematuro;

Sangramento persistente no segundo e terceiro trimestre;

Placenta prévia após 26 semanas de gestação;

Ruptura de membrana;

Pré-eclâmpsia/hipertensão induzida pela gravidez.

Cuide-se e conte com o Método Gerar!!!!

Contate-nos (11)  7763-9358 ou valeria@metodogerar.com

 

Profa Dra Valeria Santos de Almeida

A diminuição da atividade física é comum durante a gravidez levando à queda no nível de aptidão física da mulher. Desta forma, é interessante que as mulheres realizem exercícios físicos neste período.

De acordo com o Colégio Americano de Ginecologia e Obstetrícia (ACOG) a recomendação de exercícios para mulheres sem complicações obstétricas é a mesma recomendada pelo Centro de Controle de Doenças e Colégio Americano de Medicina Esportiva (CDC/ACMS), ou seja, acumular pelo menos 30 minutos de exercícios moderados todos os dias.

Há uma necessidade de alterações nos programas de exercício devido as mudanças endócrinas, cardiovasculares e posturais ocorridas durante o período gestacional, e para isso o acompanhamento de profissionais de Educação Física capacitados e que entendam essas mudanças, deve ser primordial. Neste momento a individualidade da mulher gestante deve ser respeitada para não colocar em risco o binômio mãe-feto.

Os benefícios de exercícios físicos bem orientados são diversos e atingem diferentes áreas do organismo materno. Uma das complicações mais comuns da gravidez é a dor lombar e cerca de 50% das mulheres sofrem de lombalgia durante a gestação. O exercício reduz e previne as lombalgias, além de proporcionar melhor controle da adiposidade e do ganho de peso gestacional, controle da pressão arterial, diminuir o inchaço, melhorar ou manter a aptidão física e atuar na melhora da saúde psicológica, como auto-imagem, ansiedade, bem estar e humor. Estudos epidemiológicos ainda relatam a diminuição de riscos de diabetes gestacional e pré-eclâmpsia em mulheres que mantêm maiores níveis de atividade física antes e durante a gestação.

Desta forma, recomenda-se um estilo de vida ativo a ser adotado por mulheres gestantes, pois assim além de uma gravidez saudável proporciona uma recuperação mais rápida no pós-parto.

Referências

ACOG (American College of Obstetricians and Gynecologists). Committee on Obstetric. Exercise during pregnancy and the postpartum period. Pratice Bulletin. Number 267. Am Col Obstet Gynaecol. 2002; 99:171-173.

JOINT SOGC/CSEP CLINICAL PRACTICE GUIDELINE. Exercise in pregnancy and the postpartum period. JOGC. 2003; 129:1-7.

entre em contato: 11  7763-9358

ou valeria@metodogerar.com.br

Por Profa Dra Valeria Santos de Almeida

Durante a gravidez ocorrem diversas modificações músculo-esqueléticas e hormonais que aumentam o risco de cair. Há os hormônios relaxina e estrógeno que provocam frouxidão ligamentar em todas as articulações. Isso ocorre para facilitar o parto vaginal. Além disso, com o crescimento do bebê, a barriga vai crescendo e deslocando o centro de gravidade para traz para que a gestante não caia para frente. Estas alterações podem aumentar o risco de quedas e entorces de tornozelo, por exemplo. Além disso, o equilibro também  fica prejudicado. Sendo assim, a pratica de exercícios durante a gestação requer mais atenção. Apesar disso,  estudos que relatem sobre lesões na gravidez  são escassos.

Ainda está quentinha a informação que saiu na Journal of |Physical Acivity & Health vol 7 de 2010 que relatam que de um amostra de 1469 gestantes da Carolina do Norte apenas 34 mulheres lesões relacionadas a atividade física ou exercícios. Sendo que dentre as lesões mais comuns foram arranhões (55%). Entre todas as lesões 33% resultaram de exercícios físicos e 67% de outras atividades fora do exercício. Além disso, 64% de todas as lesões foram decorrentes de quedas.

Este estudo aponta um número pequeno de lesões decorrentes do exercícios físico e maior número por quedas.  Sendo assim, fica aqui a dica,

– evitar o uso de sapatos com saltos durante a gravidez;

– evitar giros e saltos;

– evitar atividades que envolvam equilíbrio.

Saiba mais sobre o assunto no Curso Gravidez e Exercício


Profa Dra Valeria Santos de Almeida

 

Um dos maiores dilemas do exercício durante a gravidez é saber se a intensidade desta atividade está “forte”, “fraca” ou adequada. Os motivos estão relacionados às alterações cardiovasculares e respiratórias ocorridas durante este período.

Há mais de 25 anos atrás foi divulgado pela maior autoridade científica (ACOG) Colégio Americano de Ginecologia e Obstetrícia que as mulheres grávidas deveriam manter 140 batimentos por minuto durante a atividade física, sendo ela uma pessoa ativa ou sedentária. Por muitos anos esta primícia foi utilizadas sem nenhuma contestação e até hoje profissionais desavisados e desatualzados continuam utilizando esta forma de controlar a intensidade de exercício. No entanto, hoje sabemos que não é mais recomendada. Mesmo porque, os batimentos da gestante aumentam em torno de 15 a 20 batimentos, ou seja, a freqüência cardíaca, não é a melhor forma para o controle da intensidade. Outra forma bastante utilizada é a  ventilação, em outras palavras, a respiração. Durante a gestação a respiração se altera, ficando aumentada, mesmo no início da gestação. Muitas vezes a gestante fica ofegante com pouco esforço, mais uma vez, não é a melhor forma de controlar intensidade do exercício.

Uma forma que podemos lembrar e tentar conversar enquanto se exercita (talk test), mas a melhor forma é a percepção subjetiva de esforço. A gestante precisa perceber, que nota ela dá para seu esforço físico. Sendo que quanto maior o valor mais intenso está o exercício.

Os profissionaisde educação física  dispõem de escalas científicamente testadas para a realização de esforço físico aeróbicos e de força.

Pense nisso, a sua saúde e de seu bebê, merecem atenção redobrada. Contrate um profissional especializado para realização de exercícios na gravidez e no pós parto. O Método Gerar, tem  vários profissionais que poderão ir até você ou você pode realizar exercícios em grupo na rRua das Rosas 164- Vila Mariana. Entre em contato: valeria@metodogerar.com.br ou 11 7763-9358